O que você vai ser quando crescer? Você já cresceu!

O que você vai ser quando crescer? Você já cresceu!

Toda professora de primário sempre fez aquela fatídica pergunta “O que você vai ser quando crescer?”. No entanto, você já parou para traçar um paralelo entre aquele dia e no que você se tornou? Pois é, se você tem entre 18 e 30 anos, você está na mira de estudos que provam o porquê o futuro ainda não chegou e que seu presente não é aquilo que você esperava.

Um artigo do Huffington Post repercutiu no mundo todo por ser direto: “A Geração Y é infeliz”. Só no Facebook, o texto recebeu 1,1 milhão de likes. Ao desbravar o artigo, a fórmula é direta: Felicidade = Realidade – Expectativa. Profundo, não?

A expectativa da nossa geração é maior do que a de nossos pais. Por serem filhos de pais que participaram da revolução industrial, eles entendiam que tinham que trabalhar muito para terem seu sucesso profissional por volta dos 40 anos. Hoje, nós entramos no mercado de trabalho querendo o sucesso de imediato e levamos um tapa na cara da vida.

time-me-me-me-capaA revista americana Time foi além e colocou na capa que os jovens de hoje são egoístas, preguiçosos e narcisistas (para não agredir em tudo, eles colocam que eles também são gente boa). Eles acrescentam o fato de que nós nos mostramos de maneira diferente nas redes sociais, criando mais um problema: “Todos estão felizes, menos eu”.

No Brasil, a situação é ainda mais delicada. Ao contrários dos EUA, nós não temos o mínimo de lições sobre empreendedorismo, planos de carreira. Vou além, nós não sabemos nem como administrar de maneira saudável o nosso dinheiro. Nossa noção de investimento é depositar na poupança. Isto sem contar o quanto somos presas fáceis do consumo, pagando muito mais caro por produtos desejados como iPhone ou até mesmo o tão falado Playstation 4.

Sobre até mesmo para a faculdade. Eu e o meu sócio Rafael nos formamos em jornalismo e relações públicas, respectivamente e, hoje, trabalhamos com marketing. Ainda por cima, hoje estou apaixonado por outra área e estudando muito sobre isso: a psicologia, só que, no entanto, aplicada ao marketing.

Separei algumas dicas para lhe auxiliar a virar este jogo. Que você seja feliz fazendo o que você gosta:

1 – Há muitas distrações no dia de hoje. Administre melhor o seu dia, acrescentando horas de conhecimento, como cursos onlines e livros.

2 – Para quem nunca empreendeu, uma boa dica é começar como um freela, atuando fora do horário de trabalho. Quando você perceber que seu rendimento como freela é superior ao seu salário CLT, está na hora de seguir em carreira solo.

3 – Prefira sempre o empreendedorismo digital. O valor para trabalhar com produtos ou serviços digitais é quase irrisório e não oferecem riscos a sua saúde financeira.

4 – Seja muito bem relacionado. Comprar brigas, seja no trabalho ou com um chefe (mesmo que ele seja o pior possível) pode lhe prejudicar futuramente.

5 – Faça um gráfico crescente de salário, desde o momento que você é um estagiário, como se fosse um plano de carreira concreto e real.

6 – Dê prazos plausíveis para o seu crescimento. Trace uma data para sair de casa e calcule quanto você vai precisar para se virar sozinho.

7 – Evite cair no consumismo extremo. O valor que você pagou no seu iPhone ou S4 poderia ser um fogão, microondas e geladeira para sua casa.

8 – Escolha um coach e confie nele. Pode ser um profissional, um professor ou até mesmo seus pais. Um olhar de fora pode lhe fazer enxergar algo que você não consegue ver.

Como professor universitário e jovem, ao mesmo tempo, sei das dificuldades em se tornar o que você sempre quis. Pensando nisso, a Iska criou um evento que será realizado neste sábado para lhe ajudar a ganhar dinheiro fazendo o que gosta.

anuncio1

Comentários

comentários